Jornais

Notícias

Além do câncer de pele: exposição ao sol também é fator de risco para o câncer de lábio

Para o último mês do ano foi criada a campanha Dezembro Laranja, que busca conscientizar sobre a importância do diagnóstico precoce e da prevenção do câncer de pele. É neste período que se inicia o verão, estação com maior incidência solar – e a exposição aos raios ultravioletas do sol, sem a devida proteção, é o principal fator de risco para a doença. No caso da região da cabeça e pescoço, além da pele na região do rosto, há uma parte específica do corpo que também pode ser diretamente afetada pela incidência aos raios solares: o lábio.



O câncer de lábio é o terceiro tipo mais comum entre todos que podem afetar a boca e corresponde a cerca de 30% dos diagnósticos. A maioria dos pacientes são homens brancos, acima dos 50 anos. O câncer de lábio pode atingir qualquer lugar dos lábios da boca, entretanto o lábio inferior é o que apresenta maior incidência de casos.

O tipo mais comum do câncer de lábio é chamado de “carcinoma de célula escamosa”.


Esse nome mais complexo pode ser traduzido pelas características da doença: "carcinoma" significa um tipo de tumor que pode atingir o tecido que cobre todas as superfícies do corpo, chamado epitelial. Já as "células escamosas" são as estruturas da camada externa da pele, chamada de epiderme.



Como se prevenir de um câncer de lábio


A principal forma de aumentar as chances de prevenção do câncer de lábio é evitar as principais causas da doença: a exposição excessiva ao sol - sem a devida proteção - o tabagismo e o consumo excessivo de bebidas alcoólicas. Veja como é possível se prevenir desses fatores de risco do câncer de lábio:


  • Proteja seus lábios do sol - utilizar um protetor solar labial é uma grande ajuda na prevenção do câncer, para proteger os lábios da exposição aos raios ultravioleta. O uso de chapéus, bonés e sombrinhas também podem auxiliar, pois evitam que o lábio fique diretamente exposto ao sol. Essas proteções devem ser feitas especialmente por quem precisa ficar longos períodos exposto ao sol, seja por trabalho ou lazer.

  • Não fume - o tabagismo é o principal fator de risco para vários tipos de câncer de boca, entre eles o de lábio. Qualquer tipo de produto derivado do tabaco, como o cigarro, cachimbo, charuto ou o narguilé, pode aumentar as chances de desenvolver a doença.

  • Bebidas alcoólicas só podem ser consumidas com moderação. O álcool também é um fator de risco para desenvolvimento do câncer de cabeça e pescoço e se associado ao tabagismo esse risco aumenta consideravelmente.


A cor da pele também pode influenciar o risco do desenvolvimento do câncer de lábio: as pessoas de pele mais claras podem ser mais suscetíveis por ter menos melanina, que é responsável em determinar a cor da pele e do cabelo, e essa substância também desempenha uma defesa natural contra o sol. Isso não significa que quem tem a pele mais escura está invulnerável ao câncer de lábio, mas sim tem uma proteção um pouco maior.


Como identificar um câncer de lábio


O câncer de lábio pode apresentar alguns sintomas que merecem a atenção médica para uma avaliação mais precisa. Fique atento a sinais como:

  • Ferida no lábio que não cicatriza após 15 dias;

  • Dor, formigamento ou dormência nos lábios ou na pele ao redor da boca;

  • Descoloração esbranquiçada que surge nos lábios.

Ao relatar esses sintomas para um especialista, ele deverá iniciar uma análise clínica, onde examinará, além dos lábios, toda a região da cabeça e pescoço. Depois disso, o médico irá solicitar exames que possam auxiliá-lo em um diagnóstico mais preciso.


O principal método de diagnóstico do câncer de lábio é a biópsia, que é feita após a remoção de uma pequena parte do tecido onde há a suspeita da doença. Essa amostra será analisada em laboratório, onde será possível definir se há um câncer, qual o tipo e até o estágio de agressividade do tumor.


Por fim, o médico poderá também solicitar exames de imagens, como a tomografia ou a ressonância magnética, que podem verificar se o câncer se espalhou para outras partes do corpo além do lábio.



Como é feito o tratamento do câncer de lábio


O tratamento do câncer de lábio será realizado de acordo com o estágio em que a doença foi detectada. Em casos iniciais, com o tumor pequeno e localizado somente no lábio, uma cirurgia de remoção pode ser feita, na qual o procedimento busca ter um impacto mínimo para a qualidade de vida e aparência do paciente.


Em casos mais avançados do câncer de lábio, mas que ainda estão somente nessa parte do corpo, uma cirurgia mais complexa e extensa pode ser necessária. São pacientes que podem depois necessitar de uma reconstrução, para que a capacidade de se alimentar e falar seja preservada, além também de garantir uma melhor estética.


Outros tipos de tratamento podem ser realizados, como a radioterapia, que pode ser indicada de forma isolada ou complementar à cirurgia. Neste procedimento, a radiação é feita diretamente para a região dos lábios afetada pelo câncer.


A quimioterapia é uma alternativa para o tratamento do câncer de lábio, que pode ser utilizada em conjunto com a radioterapia ou caso a doença se estenda para outras partes do corpo (em um processo chamado de metástase). Nesta situação mais avançada do câncer, os medicamentos quimioterápicos podem reduzir sintomas da doença e melhorar a qualidade de vida. A quimioterapia também pode ser associada à terapia-alvo, que utiliza drogas que agem diretamente contra as células cancerígenas.


A imunoterapia também pode ser indicada para alguns casos de câncer de lábio. Esse procedimento utiliza medicamentos que ajudam a fortalecer o sistema imunológico no combate à doença.