Jornais

Notícias

Tabagismo, excesso de bebida alcoólica e HPV: os principais fatores de risco para o câncer de boca

Em muitos casos, o câncer de boca poderia ter sido prevenido. A maioria dos diagnósticos está relacionada a hábitos de vida prejudiciais à saúde e que, se evitados, reduzem as chances de desenvolvimento da doença. Esse tipo de câncer se refere a qualquer tumor maligno que ocorre na cavidade oral (língua, lábios, gengivas, céu da boca, soalho bucal (localizado embaixo da língua), forro interno das bochechas).



Estão previstos 15.190 novos casos de câncer de boca no Brasil a cada ano, doença que é mais incidente nos homens do que nas mulheres, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA). Entenda melhor como a doença se manifesta, os principais fatores de risco e como se prevenir do câncer de boca.


Sinais e Sintomas do câncer de boca


É muito importante estar atento a sua boca. Fazer regularmente um autoexame e ao perceber qualquer alteração, buscar uma avaliação médica. Os principais sinais ou sintomas que podem indicar um câncer na região são:

  • Ferida na língua ou outras partes da boca que não cicatriza após duas semanas do seu surgimento

  • Perda inesperada de dentes

  • Perda de peso sem causa aparente

  • Manchas vermelhas ou esbranquiçadas persistentes por muito tempo na cavidade oral, que podem sangrar

  • Nódulo no pescoço, na língua, nas gengivas ou no rosto

  • Dificuldade para mexer a língua, mastigar ou engolir alimentos

  • Mau hálito constante.


Fatores de risco do câncer de boca


Os principais fatores de risco para desenvolvimento do câncer de boca estão relacionados a hábitos de vida. Entre eles estão:


- Tabagismo: o principal fator de risco para o câncer de boca é o tabagismo. As chances de desenvolver um tumor maligno aumentam com o uso de qualquer tipo de tabaco, como cigarro, charuto, cachimbo, cigarro eletrônico, narguilé, tabaco de mascar, entre outros. Pesquisas mostram que 85% das pessoas diagnosticadas com câncer de cabeça e pescoço (que inclui tumores na boca) costumavam fumar regularmente. O fumante passivo – aquela pessoa que não usa tabaco, mas fica perto de quem consome e respira a fumaça expelida, também corre o risco de desenvolver o câncer de boca.


- Consumo de bebidas alcoólicas: o consumo frequente e excessivo de bebidas alcoólicas também está relacionado ao maior risco de desenvolvimento do câncer de boca e de outras partes de cabeça e pescoço. O consumo de tabaco associado ao consumo de bebidas alcoólicas aumenta ainda mais as probabilidades de surgimento da doença.


- HPV (Papilomavírus Humano): a infecção pelo vírus HPV é um fator de risco que pode estar ligado ao câncer da cavidade oral, principalmente em pacientes jovens. O HPV é um vírus sexualmente transmissível, que nos casos de cânceres de cabeça e pescoço a infecção ocorre principalmente por meio do sexo oral. O HPV pode ser classificado em vários tipos, chamados de cepas e algumas dessas variações podem aumentar a agressividade do tumor.

Existem ainda outros hábitos cotidianos que podem aumentar as chances de desenvolvimento da doença, como a má higiene bucal, irritações crônicas na boca ou a incidência muito alta de raios solares nos lábios.


Como se prevenir do câncer de boca


Para aumentar as chances de prevenção do câncer de boca é importante evitar os seus principais fatores de risco. Não fume qualquer tipo de produto derivado do tabaco, evite o consumo excessivo de bebidas alcoólicas e se proteja da infecção do HPV, que pode ser prevenido com a vacina contra o HPV disponível gratuitamente na rede pública de saúde do Brasil. A vacina é indicada a meninas entre 9 e 14 anos e meninos entre 11 e 14 anos, sendo aplicada em duas doses com um intervalo de 6 meses.

358 visualizações