Jornais

Notícias

A importância da nutrição no tratamento do câncer de cabeça e pescoço

Atualizado: Set 20

Muito além de procedimentos como cirurgia, quimioterapia ou radioterapia, o tratamento do câncer de cabeça e pescoço requer também uma série de cuidados com o paciente e a atenção de uma equipe multidisciplinar de apoio. Serviços como a nutrição, a fisioterapia e a fonoaudiologia precisam atuar paralelamente no acompanhamento e reabilitação das condições clínicas do paciente, o que contribui para um resultado melhor dos procedimentos terapêuticos adotados e minimizar complicações e reações adversas.


Para compreender melhor o papel da nutrição no tratamento do câncer de cabeça e pescoço, conversamos com Thais Manfrinato Miola, Supervisora de Nutrição Clínica do A.C.Camargo Cancer Center. Nessa entrevista, Thais explica quais os impactos que o câncer pode trazer na alimentação e o papel da reabilitação nutricional, além de dicas para ajudar a amenizar efeitos colaterais.




Confira a entrevista e entenda o porquê a nutrição é mais do que um serviço de apoio, e sim um componente fundamental do tratamento do câncer de cabeça e pescoço:


Clínica Kowalski: O câncer de cabeça e pescoço pode afetar de algum modo a alimentação do paciente? É possível provocar alguma espécie de risco nutricional?

Thais Miola: Os pacientes com câncer de cabeça e pescoço são considerados de alto risco nutricional (exceto os casos de câncer de tireoide), pois apresentam diversos sintomas relacionados à alimentação quando são submetidos à quimioterapia e/ou radioterapia, como por exemplo: boca seca, alteração de paladar, feridas na boca, dores e dificuldade para engolir. Esses sintomas dificultam a alimentação e pode fazer o paciente perder peso de uma forma nada saudável.


Além disso, se os pacientes com câncer de cabeça e pescoço forem submetidos a alguma cirurgia, dependendo do procedimento, não podem se alimentar pela boca. Nesse caso, eles devem utilizar uma via alternativa de alimentação, como a nutrição enteral através da sonda nasoenteral (que é inserida pela narina).


Clínica Kowalski: O tratamento do câncer de cabeça e pescoço pode causar efeitos adversos em relação à alimentação do paciente?

Thais Miola: Se o paciente de câncer de cabeça e pescoço fizer radioterapia, pode apresentar reações como boca seca, alteração de paladar, feridas na boca, dor e/ou dificuldade para engolir. Se estiver em tratamento quimioterápico conjunto, pode apresentar enjoo e falta de apetite - dependendo da quimioterapia, também pode apresentar diarreia.


Para cada um desses sintomas existem estratégias nutricionais que conseguem amenizá-las, como por exemplo: bebidas à base de gengibre para as náuseas; ervas e especiarias para acentuar o sabor dos alimentos em caso de alteração do paladar; consumo de preparações mais úmidas (como carne de panela ao invés do bife) para a boca seca; e evitar alimentos ácidos para as feridas na boca.


Clínica Kowalski: Há alguma indicação de alimentos para o paciente se preparar antes de um tratamento cirúrgico ou quimio/radioterápico do câncer de cabeça e pescoço?

Thais Miola: O paciente deve tentar manter a alimentação mais saudável possível, rica em frutas, vegetais, grãos integrais e conter as fontes de proteína com o consumo de leites e derivados e carnes em geral (de preferência, carnes brancas). Mas como é um paciente com alto risco nutricional, é importante ter auxílio na alimentação por meio de suplemento nutricional, que são fórmulas completas para ajudar a aumentar a oferta de energia, proteína, vitaminas e minerais. Cada paciente tem uma indicação específica de suplemento nutricional, portanto, o acompanhamento de um nutricionista é fundamental para o paciente com câncer de cabeça e pescoço, tanto para avaliar o estado nutricional, quanto para auxiliar no manejo desses sintomas e realizar a intervenção nutricional mais adequada.


Para os pacientes que serão submetidos à cirurgia, a indicação é consumir suplementos nutricionais com nutrientes especializados que atuam diretamente no sistema imunológico, antes mesmo do procedimento cirúrgico. O ideal é utilizar estas fórmulas também após a cirurgia, seja por via oral ou enteral.


Clínica Kowalski: Existem alimentos que colaboram no tratamento do câncer de cabeça e pescoço ou que ajudam a diminuir os efeitos adversos?

Thais Miola: Existem algumas estratégias nutricionais que podem ajudar o paciente com câncer de cabeça e pescoço a se alimentar quando houver algum desses efeitos colaterais abaixo:


· Boca seca: enxaguar a boca antes das refeições; consumir preparações mais úmidas; e aumentar hidratação com água, sucos naturais ou água de coco;

· Alteração do paladar: acentuar o sabor dos alimentos com ervas e especiarias; e alterar o talher caso sinta mais incômodo com o sabor metálico;

· Feridas na boca: evitar alimentos ácidos, extremos de temperaturas, condimentos e picantes; preferir alimentos mais macios (exemplo: trocar a torrada por bisnaga); e diminuir o sal das preparações;

· Dor e/ou dificuldade para engolir: preferir alimentos mais macios; se ainda houver dificuldades para engolir, é importante procurar um fonoaudiólogo;

· Náuseas: aumentar o fracionamento das refeições; evitar jejum prolongado; e consumir bebidas à base de gengibre. Para todos estes sintomas, é importante o uso de suplemento nutricional, pois auxilia na reposição de nutrientes caso o paciente não consiga consumir tudo o que ele precisa. O nutricionista oncológico irá indicar a suplementação nutricional mais indicada de acordo com as individualidades de cada paciente. Outro nutriente importante é o ômega-3, que pode ser consumido em alimentos como peixes de água frias – por exemplo, salmão, atum e sardinha (naturais e não enlatados) - e linhaça. A suplementação de ômega-3 também pode ser feita por meio da prescrição do nutricionista.


Clínica Kowalski: Existe alguma restrição alimentar que o paciente com câncer de

cabeça e pescoço terá após o tratamento?

Thais Miola: A alimentação é normal, mas claro sempre priorizando refeições saudáveis.


Clínica Kowalski: Como é realizada a reabilitação nutricional? Quais são as etapas nesse processo da recuperação pós-tratamento?

Thais Miola: A reabilitação nutricional funciona à base da alimentação saudável, equilibrada e rica em proteínas. Pacientes com câncer de cabeça e pescoço perdem muito peso durante o tratamento - e essa perda é principalmente de massa muscular. A proteína é extremamente importante para a recuperação dessa massa, mas vale salientar que também há a necessidade de carboidratos, além do acompanhamento com fisioterapeuta para realizar exercício físico e estimular a formação da massa muscular.


Se for um paciente em pós-operatório, a relação entre nutricionista e fonoaudiólogo é muito próxima. Pacientes que fazem cirurgias na região da cabeça e pescoço normalmente utilizam uma via alternativa para alimentação, que é a nutrição enteral, através da sonda nasoenteral ou gastrostomia.


Conforme o fonoaudiólogo avaliar as possíveis consistências de dieta que o paciente pode utilizar, o nutricionista vai adequando a alimentação via oral e reduzindo a nutrição enteral. Por isso, é fundamental o acompanhamento com o nutricionista, pois nós fazemos a adequação da dieta enteral até poder garantir todos os nutrientes pela via oral. Quando o paciente retira a sonda, sempre é importante ter um suplemento nutricional oral para ajudar a aumentar a oferta dos nutrientes.


Clínica Kowalski: Qual o grau de importância da nutrição no tratamento do paciente com câncer de cabeça e pescoço?

Thais Miola: Pacientes com câncer de cabeça e pescoço têm alto risco nutricional, portanto, apresentam alta prevalência de desnutrição. A própria localização do tumor dificulta a alimentação, assim como os efeitos colaterais da quimioterapia e radioterapia, além das limitações do ato de engolir alimentos que podem acontecer por causa da cirurgia.


O estado nutricional adequado faz com que o paciente tolere melhor o tratamento, apresentando menos toxicidade e, consequentemente, responda melhor à terapia antineoplásica (quando se utiliza medicamentos para combater as células cancerosas). Outros benefícios do adequado estado nutricional é a redução nas taxas de complicações, tempo de internação, taxas de readmissão hospitalar e de mortalidade.


Por isso, o acompanhamento nutricional, com um nutricionista oncológico, é tão importante durante todo o curso do tratamento. E vale destacar que o ideal é iniciar este acompanhamento antes mesmo de iniciar qualquer tipo de tratamento. Recuperar o estado nutricional demanda tempo, então prevenir a perda de peso e de massa muscular garante um maior sucesso no tratamento.


A nutrição faz parte do tratamento. Não é apenas um apoio. O paciente com câncer de cabeça e pescoço precisa estar bem nutrido para melhor garantir os resultados do seu tratamento.