Jornais

Notícias

A quarta geração do sistema do robô Da Vinci é segura e viável, aponta estudo

A cirurgia robótica é uma técnica minimamente invasiva que permite ao médico realizar alguns procedimentos cirúrgicos complexos com mais precisão, flexibilidade e controle em relação a técnicas cirúrgicas convencionais. Em Oncologia, uma das principais indicações é para casos selecionados de tumores de cabeça e pescoço. Em constante evolução, o mais avançado sistema é o Xi, que representa a quarta geração do robô cirúrgico da Vinci. A boa notícia, trazida no estudo Transoral robotic surgery (TORS) using the da Vinci Xi: prospective analysis of feasibility, safety, and outcomes, publicado na revista científica Head & Neck, é que a técnica de cirurgia robótica transoral (TORS) como tratamento para pacientes com câncer de cabeça e pescoço é segura, viável e com alta eficácia oncológica e funcional.



Partindo da premissa que o sistema da Vinci Xi ainda não é aprovado pela Food and Drug Administration (órgão regulatório dos Estados Unidos) para cirurgia robótica transoral (TORS) – fato este que limita o conhecimento sobre a sua eficácia - pesquisadores da University Hospitals Leuven, da Holanda, realizaram este estudo prospectivo que avaliou a viabilidade, segurança e resultados do Xi-TORS em um ambiente oncológico.


Ao todo, participaram 71 pacientes com câncer de cabeça e pescoço, que foram incluídos consecutivamente para Xi-TORS. Os resultados mostram que a exposição adequada e ressecção macroscopicamente completa foram alcançadas em 59 pacientes (96,7% de taxa de sucesso). Dificuldades e complicações intraoperatórias foram encontradas em 47,5% e 20,3% dos pacientes, respectivamente. Hemorragia pós-operatória ocorreu em 11,9% e não houve morte relacionada ao tratamento.


O estudo aponta também que a sobrevida global de dois anos e a sobrevida específica da doença foram de 90,5% e 95,6%, respectivamente. Nenhuma traqueotomia de longo prazo foi necessária e apenas dois pacientes permaneceram dependentes de alimentação por sonda. “São dados que demonstram a aplicabilidade deste sistema na rotina. A quarta geração de sistemas cirúrgicos da Vinci reforça o contexto de avanços para a cirurgia minimamente invasiva. O da Vinci Xi propicia uma ampla gama de procedimento, incluindo a nossa área de Cabeça e Pescoço”, avalia o Professor Doutor Luiz Paulo Kowalski, cirurgião de cabeça e pescoço.


Em relação aos sistemas anteriores, o da Vinci Xi tem braços menores e mais finos e flexíveis, que permitem colocá-lo em qualquer posição ao redor do paciente. Além disso, houve diminuição das pinças, que facilitam a atuação do cirurgião por oferecer melhor acesso às partes do corpo com regiões sensíveis.


Referência do estudo


Meulemans J, Vanermen M, Goeleven A, Clement P, Nuyts S, Laenen A, Delaere P, Vander Poorten V. Transoral robotic surgery (TORS) using the da Vinci Xi: prospective analysis of feasibility, safety, and outcomes. Head Neck. 2021 Nov 8.


Disponível em

https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1002/hed.26902