top of page
Jornais

Notícias

Cirurgia para Câncer de Faringe: Entenda como funciona e quando é indicada

Quando um paciente recebe o diagnóstico do câncer de faringe, um dos próximos passos é saber como vai ser tratado. A cirurgia para câncer de faringe pode ser uma das opções de tratamento, mas a definição da conduta mais assertiva para cada caso vai depender das características do tumor, como o tipo, subtipo, a localização, o estágio da doença e também as condições clínicas do paciente.



A faringe é o ponto de encontro do sistema respiratório e do digestivo, localizada na garganta e que liga o nariz e a boca à laringe e ao esôfago. Esse órgão é dividido em três partes; nasofaringe (a parte superior, atrás do nariz), orofaringe (região do meio, atrás da boca, onde ficam as amígdalas) e hipofaringe (parte inferior, que se conecta ao esôfago e à laringe).


O câncer de faringe deve ser tratado considerando a parte do órgão que foi afetada pelo tumor. A cirurgia provavelmente será o principal método de tratamento a ser adotado caso a doença esteja localizada na hipofaringe ou na orofaringe. Já, se estiver na nasofaringe, provavelmente, o tumor será tratado com quimioterapia e radioterapia.


O estágio do câncer de faringe também vai influenciar na decisão sobre o protocolo de tratamento. Nas fases iniciais, somente a radioterapia ou a cirurgia para remover o tumor pode ser suficiente na hipofaringe e na orofaringe. Em estágios mais avançados, a cirurgia com tratamento complementar ou quimioterapia e radioterapia podem ser necessárias.


Portanto, muitos dos pacientes com o diagnóstico de câncer de faringe devem passar pela cirurgia, que recebe o nome de faringectomia. Nos casos de câncer de hipofaringe, pode ser necessária a realização de uma laringectomia juntamente com a faringectomia

 

Técnicas cirúrgicas utilizadas


  • Cirurgia endoscópica minimamente invasiva convencional ou a laser: o tumor é removido por meio do equipamento de endoscopia com ou sem a utilização de laser, sem precisar de incisões (ou “cortes”) na pele. Esse tipo de procedimento (geralmente realizado em tumores iniciais) reduz o risco de alterações na voz ou no processo de deglutição.

  • Robótica Transoral: Um dos procedimentos mais modernos no tratamento cirúrgico do câncer de cabeça e pescoço, essa técnica minimamente invasiva utiliza um equipamento robótico que permite, sem precisar de grandes incisões, alcançar o câncer e removê-lo com precisão e segurança. Esse procedimento é bastante indicado em tumores localizados na orofaringe. Quase sempre é também necessário realizar o tratamento dos gânglios linfáticos do pescoço (o chamado esvaziamento cervical).


Em alguns casos, após a remoção da faringe por qualquer técnica, poderá ser preciso realizar uma cirurgia de reconstrução para que seja possível melhorar a deglutição.

Commentaires


bottom of page