Jornais

Notícias

Conheça quais são os tipos de tratamento para o câncer de cabeça e pescoço

O tratamento do câncer de cabeça e pescoço é um momento muito importante na vida do paciente. Felizmente, com o avanço da ciência, hoje existe uma série de opções de tratamentos oncológicos. Definir a melhor opção de tratamento para cada caso, no entanto, dependerá de uma série de fatores, entre eles qual o tipo de tumor, onde está localizado, qual o estágio da doença e as condições clínicas do paciente.


No caso do câncer de câncer de cabeça e pescoço, os tumores podem ocorrer em partes como boca, faringe, laringe, tireoide, paratireoide, glândulas salivares, entre outras partes. Existe também uma variedade até na origem do tumor. Um exemplo é o carcinoma, nome de alguns tipos de câncer de cabeça e pescoço que se desenvolvem em tecidos de revestimento como pele e mucosas, isto é, têm origem epitelial. Por isso, quando se fala de tratamento do câncer, aborda-se uma série de diferentes procedimentos. E por isso é importante entender como funciona cada um deles.


Como funciona a cirurgia


Um dos métodos mais comuns para o tratamento do câncer de cabeça e pescoço é a cirurgia, que consiste na remoção do tumor por meio de um procedimento cirúrgico. O formato mais conhecido é a excisão, na qual o cirurgião oncológico remove o câncer do corpo do paciente junto de tecidos vizinhos, chamados de “margem de segurança”.


A cirurgia endoscópica, com ou sem laser, também pode ser utilizada em caso de tumores em estágio inicial, principalmente na laringe. Outra forma é a dissecção de linfonodos, indicada quando o câncer se espalha para as regiões próximas, como os gânglios linfáticos no pescoço. Esse procedimento pode ser feito ao mesmo tempo que a excisão. É também indicado quando não se detecta metástases, mas existe alto risco de que ocorram.


Atualmente, um novo método é cirurgia robótica que pode ser utilizado em alguns casos específicos de câncer de garganta, como orofaringe e laringe supraglótica. A intervenção cirúrgica é feita por um robô, controlado por um cirurgião via um console. A técnica traz alto grau de segurança e de precisão e proporciona benefícios aos pacientes como: menores cortes; menor sangramento e tempo de internação; redução do risco de infecção, de dores e complicações; e recuperação mais rápida. Mas, deve-se enfatizar, as indicações são ainda para casos muito selecionados.


Outra etapa importante da cirurgia é a reconstrução, onde são utilizados tecidos locais ou a distância, chamados retalhos. Ela pode ser realizada por técnicas convencionais, ou por meio de microcirurgia, onde tecidos a distância são transplantados e revascularizados no local. Nesses casos, o procedimento é, geralmente, realizado por um cirurgião plástico especializado em microcirurgia.


Após a cirurgia pode ser necessário mais um tipo de tratamento, pois, em alguns casos, há moderado a alto risco de recorrência do tumor. Esse tratamento complementar ao adjuvante pode ser feito com radioterapia ou associação de radioterapia com quimioterapia.


Radioterapia no tratamento do câncer de cabeça e pescoço


A radioterapia consiste na utilização de raios de alta energia ou de outras partículas para destruir as células do câncer. Esse tratamento geralmente é feito em sessões durante um determinado período de tempo. A radioterapia pode ser utilizada de diferentes formas para o tratamento do câncer de cabeça e pescoço, inclusive para ajudar a remover a doença ou reduzir os sintomas da doença ou de um efeito causado pelo tratamento.


O tipo mais comum deste tratamento é a radioterapia de feixe externo. Tecnologias mais avançadas são direcionadas com precisão para irradiar no tumor. Isso ajuda a reduzir os danos às células saudáveis próximas, reduzindo os efeitos colaterais. A radioterapia pode ser empregada isoladamente em casos de tumores iniciais, associada a quimioterapia sobretudo em tumores avançados de orofaringe e laringe, ou como tratamento complementar à cirurgia.


Os tratamentos com medicamentos


Utilizar remédios para destruir as células cancerígenas é outra forma de tratar o câncer de cabeça e pescoço. Essa medicação pode ser administrada via oral ou intravenosa (quando é aplicada diretamente na veia). O tratamento medicamentoso mais conhecido é a quimioterapia - mas existem outros, como imunoterapia e terapia-alvo.


Na quimioterapia, os medicamentos buscam destruir as células cancerígenas - impedindo que elas cresçam e se multipliquem. A quimioterapia é administrada por ciclos durante um determinado período de tempo. Apesar de ter eficácia contra diversos tipos de câncer, a quimioterapia pode causar efeitos adversos aos pacientes, pois também podem atacar outras células de rápida reprodução, como as, por exemplo, do cabelo.


Outra forma de tratamento do câncer de cabeça e pescoço é a terapia-alvo. Neste caso, o medicamento irá buscar genes específicos do tumor, ou mesmo proteínas que contribuem para o desenvolvimento da doença, bloqueando o crescimento e a disseminação de células cancerígenas - e limitando o dano às células saudáveis.


Nem todos os tumores têm os mesmos alvos. Esse tratamento precisa de uma avaliação individualizada do médico para identificar qual o medicamento mais indicado. No caso do câncer de cabeça e pescoço, existem alguns tipos de terapia-alvo que podem ser utilizadas, como inibidores de EGFR.


Outra forma de tratar o câncer de cabeça e pescoço é reforçar a própria defesa do corpo para combater as células tumorais. Esse é um procedimento chamado imunoterapia, chamada também de terapia biológica. Neste caso, os medicamentos visam direcionar, melhorar ou até mesmo restaurar a função do sistema imunológico.


Existem tratamentos imunoterápicos para alguns tipos de câncer de cabeça e pescoço, como os que ocorrem na boca, faringe ou laringe, inclusive em casos de metástase (quando a doença se espalha para outras partes do corpo).