Jornais

Notícias

Cuidados importantes para a saúde nasal e da garganta durante a primavera

A chegada da primavera representa o início de uma nova estação com dias mais longos e temperaturas mais altas. Para algumas pessoas, no entanto, esse período marca também um ciclo de espirros e tosses devido ao aumento das reações alérgicas do corpo, pois é nessa época do ano em que a polinização das plantas ocorre de forma mais intensa. Isso faz com que os grãos de pólen se concentram em maior quantidade no ar, especialmente em dias com vento e sol, impactando quem tem a chamada alergia sazonal.



De acordo com a Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia (ASBAI), no Brasil essa maior incidência de reações alérgicas durante a primavera ocorre especialmente no Sul do país, local onde as estações do ano são mais distintas. Cerca de 25% dos adultos da região têm alergia clínica ao pólen.


Existem também outros tipos de alergia que podem ocorrer durante todo o ano – e em outras partes do país. Entre as causas estão ácaros, mofo e pelos de animais, que podem potencializar quadros clínicos como a rinite alérgica.


Essas possíveis complicações devem ser observadas com ainda mais cuidado pelo paciente com câncer de cabeça e pescoço, especialmente durante a primavera. Evitar as causas das reações alérgicas pode colaborar na qualidade de vida durante o tratamento oncológico. Por isso, fique atento aos principais sinais e saiba como se prevenir de suas causas:


Principais sintomas das reações alérgicas


Entre os principais sintomas das reações alérgicas, sejam elas durante a primavera ou em outras estações, estão sinais como:


- Olhos vermelhos e lacrimejantes;

- Espirros e coriza (nariz escorrendo);

- Coceira nos olhos, nariz, orelhas ou boca;

- Nariz entupido;

- Olhos inchados;

- Sensação de um muco escorrendo pela parte de trás da garganta;

- Tosse, ficar ofegante ou ter dificuldades para respirar.


Essas manifestações também podem ser associadas a um quadro de gripe ou resfriado, comumente confundidas com reações alérgicas. Se esses sinais persistirem por muito tempo, é importante procurar um médico para uma análise mais precisa sobre a causa.


Como é possível reduzir o risco de reações alérgicas


Apesar de não ser possível prevenir a alergia quando a pessoa está exposta ao agente causador, há alguns hábitos que podem diminuir a exposição aos fatores de risco de uma reação alérgica. Especialmente o paciente com câncer de cabeça e pescoço precisa de mais cuidados, então os familiares ou cuidadores também podem auxiliar nas ações de prevenção. Veja o que é possível fazer para reduzir os riscos de uma reação alérgica, especialmente na primavera:


- Fique em casa em dias secos e com muito vento. Se for possível escolher um momento do dia para sair na rua, opte por um momento após chover, que ajuda a eliminar o pólen do ar;


- Se foi necessário sair de casa durante o dia, tenha alguns cuidados ao voltar para casa: retire os calçados antes de entrar, coloque a roupa para lavar e tome um banho para enxaguar o pólen da pele e do cabelo;


- Mantenha as janelas fechadas da casa em dias com muito vento, para que pólen e poeira não circulem dentro da residência;


- Utilize soro fisiológico para umedecer o nariz uma ou mais vezes ao dia;


- Forre colchões, travesseiros e almofadas com capas impermeáveis;


- Seque as roupas no sol para eliminar ácaros e outros microrganismos que podem aparecer no tecido.


Cuidados que um paciente com câncer de cabeça e pescoço deve ter para evitar reações alérgicas


Os pacientes com câncer de cabeça e pescoço devem ter ainda mais atenção em relação aos riscos de reações alérgicas, para evitar possíveis complicações e garantir mais qualidade de vida durante o tratamento oncológico. Se já houver o diagnóstico de uma alergia respiratória ou relatos de crises de, por exemplo, alguma rinite, sinusite, bronquite ou asma, é importante o médico já saber para direcionar o melhor tratamento a esse paciente.


Outro ponto de atenção para o paciente com câncer de cabeça e pescoço é se manter hidratado e seguir uma dieta que favoreça sua imunidade. Sua casa ou local em que se hospeda durante o tratamento deve estar bem limpo e cuidado durante o dia a dia, para evitar o surgimento de reações causadas por ácaros e fungos. Equipamentos como umidificador de ar podem auxiliar bastante nos dias mais secos, mas devem ser limpos constantemente.


Nas regiões mais ao sul do Brasil, onde a alergia causada pelas mudanças observadas na primavera costuma aumentar, é importante que o paciente com câncer de cabeça e pescoço siga as dicas para reduzir os riscos de reações alérgicas e consulte o médico que acompanhe o tratamento para eventuais dúvidas em casos do surgimento de sintomas.