Jornais

Notícias

Diferenças entre Câncer de Faringe e Laringe

Atualizado: Set 20

Dois dos principais órgãos da região da cabeça e pescoço são a faringe e a laringe. Importantes na alimentação e na respiração, essas partes do corpo podem ser facilmente confundidas, porém, suas funções são distintas. Um tipo de doença que pode acometer a faringe ou a laringe é o câncer, que tem características distintas entre elas.


De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA): enquanto o câncer de laringe está entre os 10 mais comuns entre os homens no Brasil, o tumor na faringe é um pouco mais raro. Conheça as principais características de cada órgão, os fatores de risco para o desenvolvimento do câncer nas duas regiões, os sintomas e como é realizado o tratamento.


Qual a diferença entre faringe e laringe?


Laringe e faringe são duas estruturas encontradas na região do pescoço. A grande diferença é que a faringe faz parte do canal alimentar, que se estende da boca até o esôfago; já a laringe está acima da traqueia (órgão do sistema respiratório que garante a passagem de ar para os pulmões).


A faringe faz parte do sistema respiratório e do digestivo, com o ar e o alimento passando pela cavidade. Os destinos desses dois elementos se alteram posteriormente: enquanto os alimentos chegam no esôfago, o ar passa pela laringe, que faz parte somente do sistema respiratório. Além disso, na laringe estão as cordas vocais, que vibram com a passagem de ar e fazem parte do aparelho fonador, o que dá origem a fala.


Quais os fatores de riscos para câncer na faringe ou na laringe?


Existem fatores de risco em comum para o desenvolvimento do câncer de faringe e de laringe, principalmente o tabagismo e o consumo excessivo de bebidas alcoólicas. Esses hábitos, se combinados, podem potencializar ainda mais o surgimento de um tumor na região do pescoço.


A diferença entre os fatores de risco se dá pela contaminação do HPV (Papilomavírus Humano), mais comum em ser associada ao risco de câncer na região da orofaringe. Essa doença sexualmente transmissível pode ocorrer durante a relação sexual sem o uso de preservativo - no caso da faringe, quando o sexo oral ocorre sem os devidos cuidados, aumenta os riscos da infecção.


Há uma pequena diferença também entre as idades em que os diagnósticos são realizados: o câncer de laringe costuma ser mais comum a partir dos 60 anos. Já o câncer de faringe passou a ser detectado também em pessoas mais jovens, especialmente por causa de pacientes que tiveram HPV.


Quais os sintomas do câncer de faringe e laringe?


Os cânceres de faringe e laringe podem ser assintomáticos inicialmente, ou seja, não manifestar sinais claros da doença. No entanto, o paciente deve sempre estar atento a manifestações diferentes do corpo na região da cabeça e pescoço. Os principais sintomas dos dois tipos de câncer são:


- Dor de garganta persistente;

- Dores no ouvido;

- Nódulo (caroço) no pescoço;

- Problemas respiratórios;

- Perda de peso rapidamente sem um motivo aparente;

- Rouquidão;

- Dificuldade em engolir alimentos ou a sensação de algo preso na garganta.


Além desses sintomas em comum, o câncer de faringe também pode causar secreção ou sangramento nasal, enquanto o câncer de laringe se manifestar com alterações na voz. Nem todos esses sinais significam ter a doença, por isso, caso ocorram, é importante a avaliação médica para um diagnóstico mais preciso.


Qual o tratamento para o câncer de faringe e de laringe?


O tratamento para os cânceres de faringe e de laringe pode variar de acordo com a localização do tumor e o estádio em que foi diagnosticado. Cirurgia, quimioterapia e radioterapia são os procedimentos mais comuns, que podem se complementar para um tratamento mais eficaz ao paciente. Um exemplo é a utilização da quimioterapia, antes ou concomitante a radioterapia, para eliminar as células cancerígenas na região.


Uma diferença no tratamento do câncer de faringe e laringe é o tipo de procedimento cirúrgico utilizado para remover o órgão diagnosticado com o tumor. A faringectomia é o nome dado à cirurgia que remove parte ou toda a faringe, enquanto a laringectomia retira total ou parcialmente a laringe, de acordo com a localização e a extensão do tumor. Um tipo específico de cirurgia da laringe é a cordectomia, que remove a corda vocal acometida pelo câncer.


A remoção da faringe ou da laringe pode impactar de diferentes formas a qualidade de vida do paciente. No caso da remoção da faringe, pode aumentar as dificuldades para falar e principalmente se alimentar após o tratamento. Já a remoção da laringe, como é o órgão onde ficam as cordas vocais, pode comprometer a fala. Nos dois casos, o acompanhamento de uma equipe multidisciplinar, composta por fonoaudiólogos, nutricionistas, psicólogos é fundamental para a reabilitação desse paciente.

1,182 visualizações