Jornais

Notícias

Outubro Rosa além do câncer de mama: a mulher e o câncer de cabeça e pescoço

O Outubro Rosa foi um movimento criado pela Susan G. Komen Breast Cancer Foundation, uma organização estadunidense voltada a ampliar os recursos de pesquisa, tratamento e políticas públicas para o tratamento do câncer de mama. Em outubro de 1986, foi realizado o primeiro "Breast Cancer Awareness Month" (Mês de Conscientização sobre o Câncer de Mama), com a fita rosa se tornando o símbolo da campanha a partir do ano de 1991.


Desde então, o movimento cresceu em várias partes do mundo; no Brasil, o Outubro Rosa se consolidou no calendário para além da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama, como também um momento de conscientização sobre a saúde da mulher como um todo. Afinal, há outros quadros clínicos e diferentes tipos de câncer que podem ocorrer na mulher e que também merecem atenção.


No caso do câncer de cabeça e pescoço, o tipo mais comum entre as mulheres é o de tireoide. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), há a estimativa de 11.950 novos casos da doença entre as brasileiras, o quinto tumor mais comum após o câncer de pele não melanoma. O câncer da cavidade oral e o da laringe, apesar de serem três vezes mais comuns entre os homens, acometem cerca de 5.200 mulheres a cada ano. Entenda os principais fatores de risco do câncer de cabeça e pescoço entre as mulheres, os sintomas e quais cuidados as mulheres podem ter para auxiliar na prevenção da doença:


Fatores de risco dos tipos de câncer de cabeça e pescoço mais comuns entre as mulheres


Os principais fatores de risco para o câncer do cabeça e pescoço são o tabagismo e o consumo excessivo de bebidas alcóolicas, que são diretamente ligados a tumores na boca e em partes da garganta, como a laringe. Já o Papilomavírus Humano (HPV), uma infecção sexualmente transmissível, está ligado a cerca de 70% dos casos de câncer de orofaringe.


O câncer de cabeça e pescoço é mais comum a partir dos 60 anos, com exceção aos casos na tireoide: cerca de 2/3 desses tumores ocorrem entre os 20 e 55 anos de idade. A doença pode ocorrer por razões como exposição constante da região do pescoço à radiação, síndromes hereditárias (se mais de uma pessoa na família tiver câncer na tireoide, pode ser o sinal de uma mutação genética) e dieta deficiente ou com excesso de iodo.



Sintomas mais comuns do câncer de cabeça e pescoço nas mulheres


O câncer de cabeça e pescoço pode ser silencioso no início, sem apresentar sinais claros do desenvolvimento da doença. Há sintomas que podem indicar a presença de um tumor na região, mas é importante a avaliação de um especialista para uma análise mais precisa. O próprio médico que atende suas consultas de rotina pode identificar uma possível suspeita e encaminhá-la para avaliação de um cirurgião de cabeça e pescoço, dentista (no caso de lesões em boca), otorrinolaringologistas (alterações na garganta), endocrinologista (alterações na tireoide) ou dermatologista (lesões de pele). Essas etapas podem auxiliar no diagnóstico precoce da doença, o que aumenta as chances de sucesso no tratamento.


Os sintomas do câncer de cabeça e pescoço podem variar de acordo com a localização do tumor. As mulheres devem ficar atentas a manifestações como:


- Nódulos na boca ou no pescoço: há caroços que surgem e depois desaparecem, mas quando permanecem por um período mais prolongado, podem estar associados a um câncer. Na região do pescoço é mais comum o nódulo ser um sintoma de um tumor na tireoide - há de se destacar que cerca de 95% dos nódulos na tireoide costumam ser benignos e o procedimento clínico a ser adotado pode variar para cada caso.


- Inchaço ou ferida: um dos sintomas mais comuns do câncer de cabeça e pescoço é a presença de uma ferida ou inchaço persistente na região da boca, que demora mais de duas semanas. Fique atenta também a manchas vermelhas ou esbranquiçadas.


- Dificuldades para respirar, falar ou se alimentar: busque a avaliação médica em caso da persistência de sinais como rouquidão, sensação de que algo fica preso na sua garganta após as refeições ou dificuldades respiratórias como falta de ar, dores no peito e tosse.



Como a mulher pode se prevenir do câncer de cabeça e pescoço


Evitar os fatores de risco do câncer de cabeça e pescoço é o primeiro passo para reduzir as chances de se ter a doença. Além disso, há uma série de ações que podem ser incluídas na sua rotina que também contribuem para a prevenção:


  • Pratique exercícios físicos;

  • Mantenha uma dieta equilibrada e rica em cereais, verduras, legumes e vegetais, e evite o consumo de alimentos ultraprocessados e embutidos;

  • Não fume e nem utilize qualquer derivado do tabaco;

  • Não consuma bebida alcoólica em excesso;

  • Utilize preservativos durante a relação sexual, inclusive na oral;

  • Colabore com a campanha de vacinação contra o HPV (no caso de mulheres imunossuprimidas de até 45 anos ou meninas de 9 a 14 anos de idade, a vacina é gratuita e disponível também para meninos de 11 a 14 anos).


E o mais importante: sempre consulte um especialista e não deixe de lado os exames de rotina. Os cuidados com a saúde são essenciais não só no Outubro Rosa, mas em todo o ano.