top of page
Jornais

Notícias

Dia Nacional de Combate ao Fumo – Os perigos do fumo passivo

Atualizado: 12 de set. de 2023

No dia 29 de agosto é celebrado o Dia Nacional de Combate ao Fumo. Muitas campanhas publicitárias são direcionadas para os malefícios de qualquer tipo de cigarro, mas é preciso também alertar sobre os perigos do fumo passivo.



Cerca de 2/3 da fumaça gerada pela queima de cigarros, charutos, vapes eletrônicos, entre outros produtos de tabaco, é lançada no ambiente e afeta a pessoa que está próxima, que é chamada de fumante passivo.


O tabagismo passivo é a terceira maior causa de morte evitável no mundo, atrás apenas do tabagismo ativo e do consumo excessivo de álcool, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS).


Pesquisas indicam que os indivíduos que trabalham em bares e restaurantes se expõem a uma quantidade de fumaça do tabaco que corresponde entre 4-10 cigarros por dia, com um nível de exposição a essa fumaça que pode ser entre 300% a 600% maior do que qualquer outro grupo de trabalhadores. Isso pode aumentar o risco de desenvolver doenças cardíacas e de diversos tipos de câncer, como o de pulmão e de cabeça e pescoço.


Conforme dados divulgados pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), estima-se cerca de 200 mil vítimas fatais anualmente por causa da exposição à fumaça do tabaco no ambiente de trabalho.


Outro dado alarmante é que o tabagismo passivo é uma das principais causas de complicações em não fumantes, como câncer do pulmão, doença isquêmica do coração e morte por parada cardíaca.


Fumantes passivos também podem sofrer os efeitos imediatos do tabaco, como:


Irritação nos olhos e no nariz;

Tosse;

Dor de cabeça;

● Elevação da pressão arterial;

Aumento de problemas alérgicos, principalmente das vias respiratórias;

Crescimento do número de infecções respiratórias em crianças.


Iniciativas públicas que protegem os não fumantes


De acordo com a Lei nº 12.546/2011 e o Decreto nº 8.262/2014, é proibido no país fumar em ambientes fechados de uso coletivo, seja público ou privado, produtos derivados do tabaco como cigarros, charutos, cachimbos, narguilés e os dispositivos eletrônicos (DEFs).


É importante ressaltar que em áreas, como tabacarias e centros de pesquisa de produtos derivados do tabaco, os responsáveis deverão instalar áreas exclusivas para os fumantes com condições de isolamento, ventilação, exaustão do ar e medidas de proteção ao trabalhador, conforme a Portaria Interministerial MTE/MS nº 2.647, de 4 de dezembro de 2014.


Além disso, diversos estados e municípios brasileiros dispõem de leis estaduais e municipais, com a proibição total do tabagismo em recintos fechados.


Como evitar o tabagismo passivo


Se você estiver em um ambiente fechado e estiver exposto à fumaça de produtos derivados do tabaco, acione imediatamente o responsável pelo local. Lembre-se que a lei proíbe o fumo nesses estabelecimentos;


Em ambientes abertos, com aglomerações, você deve cobrir o nariz e a boca com uma máscara ou algum tecido limpo (lenço), para que sirva como uma espécie de filtro;


Quando o fumante ativo está dentro de casa, a situação pode ser mais delicada. Nesses casos, deve-se conversar e incentivar os fumantes a buscarem ajuda profissional para que se livrem dos malefícios do fumo, principalmente se essa pessoa conviver diariamente com crianças;


Existem diversos programas, muitos até gratuitos, que podem ajudar os fumantes a largar esse vício, como os encontrados no Sistema Único de Saúde (SUS) e no Ministério da Saúde (MS).

댓글


bottom of page