Jornais

Notícias

Pesquisa de opinião revela desconhecimento sobre relação entre HPV e câncer de orofaringe

Embora na Europa até 81% dos casos de câncer de orofaringe sejam associados com infecção pelo papilomavírus humano (HPV), uma nova pesquisa indica que falta consciência pública sobre o HPV e a associação direta do HPV com esta doença. É o que mostra o estudo Public awareness of the association between human papillomavirus and oropharyngeal cancer, publicado na revista científica European Journal of Public Health.



Multicêntrico e multidisciplinar, o estudo reuniu pesquisadores dos Departamentos de Otorrinolaringologia e Cirurgia de Cabeça e Pescoço, de Epidemiologia e Patologia do Maastricht University Medical Centre, na Holanda, assim como do Centro de Cabeça em Pescoço da University College London Hospitals do National Health Service (NHS), no Reino Unido.


O trabalho consistiu em uma pesquisa transversal online enviada pela empresa Flycatcher Internet Research para 1539 participantes. Os dados foram analisados ​​estatisticamente por sexo, idade, escolaridade e uso de álcool e tabaco pelos participantes. Do total, 1.044 responderam ao questionário (taxa de resposta de 68%).


Os dados revelaram que 30,6% dos participantes já haviam ouvido falar do HPV. Houve lacuna de conhecimento em relação ao HPV em homens, pessoas com mais de 65 anos, pessoas com baixa escolaridade e fumantes atuais. Dos entrevistados que já ouviram falar do HPV, apenas 29,2% sabiam da associação entre HPV e câncer de orofaringe. Também observou-se que apenas 49,7% da população da amostra sabia da existência de uma vacina contra o HPV.


“Esses números, com a população da Holanda, mostram que o desconhecimento não é exclusivo, por exemplo, do Brasil. É baixo o nível de entendimento sobre o que é HPV, sobre ele causar câncer e, ainda mais, em ser fator de risco significativo para câncer de orofaringe. É nossa missão levar informação qualificada para a população”, ressalta o Professor Doutor Luiz Paulo Kowalski, cirurgião de cabeça e pescoço e diretor da clínica Kowalski.



Conhecimento de HPV


Dos 1.044 entrevistados, 30,6% já haviam ouvido falar do HPV. Duas vezes mais mulheres estavam cientes do HPV do que homens (41,6% x 19,3%). Os participantes com idades entre 18 e 29 anos ouviram mais frequentemente sobre o HPV (44,5%).


Os participantes com baixo nível de escolaridade ouviram falar do HPV com menos frequência do que os participantes com alto nível de escolaridade (12,3% x 46,9%). Os participantes que não fumavam ouviram falar com mais frequência sobre o HPV do que aqueles que fumavam ou haviam fumado (38,5% x 18,9% e 24,9%). Dos entrevistados que já tinham ouvido falar do HPV, 79,9% sabiam que o HPV é transmitido durante o sexo; 72,7% que o HPV é transmitido durante o sexo oral; 78,4% que o HPV não é raro e apenas 64,6% sabiam que o HPV não causa HIV.



Conhecimento sobre a vacina contra o HPV


Apesar do conhecimento do HPV em 30,6% de todos os participantes, os autores descrevem que 49,7% de todos os participantes da pesquisa sabiam que existe uma vacina contra o HPV disponível. Isso é notável, ressaltam, pois significa que uma parte dos participantes que não tinha conhecimento sobre o HPV sabia que existe vacina.


O trabalho também mostra que participantes com mais de 65 anos estavam menos cientes da vacinação contra o HPV, mas havia menos disseminação no conhecimento da vacina contra o HPV entre os diferentes níveis de educação. Fumantes atuais e participantes que bebem mais de 21 doses de bebidas alcoólicas por semana também estavam menos cientes da existência de uma vacina contra o HPV (58,3% e 0%, respectivamente), embora o último grupo fosse pequeno (14 pessoas).



Conhecimento sobre câncer orofaríngeo


Na população geral, 11% sabiam da associação entre HPV e câncer de orofaringe. Curiosamente, dos entrevistados que já ouviram falar do HPV, apenas 29,2% reconheceram o HPV como fator de risco para esta doença. Em comparação com o conhecimento da existência de HPV, os homens estavam agora mais cientes desta ligação do que as mulheres (34,0% x 26,9%).


Os participantes foram confrontados com onze fatores e questionados se estes eram fatores de risco para câncer de orofaringe ou não. Apenas 26,9% dos participantes identificaram corretamente o HPV como fator de risco, superior aos 11,0% iniciais. O conhecimento de outros fatores de risco bem estabelecidos foi muito maior: por exemplo, fumar (97,3%) e mascar tabaco (74,5%). O consumo excessivo de álcool, a má higiene bucal e o hábito comum na Índia de mastigação de folha de betel, catchu e nozes de areca foram menos reconhecidos (60%, 38,1% e 30,4%, respectivamente).


Os autores concluem que os resultados desta pesquisa indicam que falta consciência pública sobre o HPV e a associação do HPV com o câncer de orofaringe. Devem, portanto, ser consideradas intervenções para aumentar a conscientização sobre o HPV e sua associação além do câncer de colo do útero. Isso pode ajudar a aumentar a adesão à vacinação contra o HPV e o diagnóstico precoce do câncer de cabeça e pescoço, levando a uma melhor sobrevida.



Referência do estudo


Verhees F, Demers I, Schouten LJ, Lechner M, Speel EM, Kremer B. Public awareness of the association between human papillomavirus and oropharyngeal cancer. Eur J Public Health. 2021 Jun 3:ckab081. doi: 10.1093/eurpub/ckab081.


Disponível em https://academic.oup.com/eurpub/advance-article/doi/10.1093/eurpub/ckab081/6291811