top of page
Jornais

Notícias

Como funciona a cirurgia para o câncer de tireoide

No caso do surgimento do câncer de tireoide, pode ser necessária a cirurgia na tireoide, que pode ser associada a métodos complementares, como a aplicação de iodo radioativo, por exemplo, para eliminar possíveis células tumorais restantes após a cirurgia.



A tireoide é uma glândula com o formato de borboleta, localizada na parte frontal do pescoço, e é responsável pela liberação dos hormônios T3 e T4, que são reguladores de partes importantes do organismo, como coração, cérebro, fígado e rins.


O surgimento de nódulos na tireoide é comum. Mais de 90% deles são benignos e, quando muito pequenos, podem ser acompanhados clinicamente, por meio da vigilância ativa. O médico especialista pode indicar exames laboratoriais e de imagens periodicamente para esse acompanhamento.


No caso do surgimento de tumores malignos e maiores, pode ser necessária a cirurgia na tireoide, que pode ser associada a métodos complementares, como a aplicação de iodo radioativo, por exemplo, para eliminar possíveis células tumorais restantes após a cirurgia.


Antes da realização do procedimento, a extensão da doença deve ser avaliada. Caso os tumores tenham se espalhado para os gânglios linfáticos do pescoço, esses também devem ser retirados na cirurgia.



Tipos de cirurgia para câncer de tireoide


A tireoidectomia total consiste na retirada de toda a glândula. Já a tireoidectomia parcial (ou lobectomia) remove apenas a parte na qual está localizado o tumor, além do istmo (estrutura que une as duas partes). Todos os procedimentos são realizados sob anestesia geral.


A cicatriz resultante da cirurgia geralmente é bem discreta e fica localizada na parte anterior do pescoço. Já quando há indicação de tireoidectomia transvestibular, uma técnica minimamente invasiva, a incisão é realizada dentro da boca e deixa a cicatriz escondida, mas ainda existem questionamentos sobre esta técnica.


Geralmente, o paciente que passa por uma cirurgia de câncer de tireoide recebe alta no dia seguinte. Durante o período de reabilitação, a dieta deve ser saudável e os esforços físicos devem ser evitados por duas semanas, seguindo orientação do cirurgião.


Após o procedimento podem surgir sinais, como rouquidão, geralmente, temporária e discreta. E quem passou por uma tireoidectomia total precisará de reposição hormonal continuadamente. Por isso, é fundamental seguir o trabalho de reabilitação junto à equipe multidisciplinar, composta por profissionais como fisioterapeuta, nutricionista e fonoaudiólogo, para ajudar na recuperação após a cirurgia do câncer de tireoide.

Comentários


bottom of page