Jornais

Notícias

Dia Mundial do Câncer: em prol da campanha “Por Cuidados Mais Justos”

O Dia Mundial do Câncer é uma iniciativa da organização UICC (Union for International Cancer Control), que convida o mundo inteiro para se reunir na luta contra a doença. Todo ano, no dia 4 de fevereiro, é celebrada a data com o intuito de conscientizar a sociedade. Uma das principais ferramentas que podemos utilizar nessa missão é a informação: a importância da prevenção, do diagnóstico precoce, de conhecer as características dos tipos de câncer, os fatores de risco e sintomas.


Neste ano de 2021, a campanha da UICC traz como tema "Por cuidados mais justos". Metade da população em todo o mundo não tem acesso aos serviços essenciais de saúde. Mesmo numa época com tantos avanços na prevenção, no diagnóstico e tratamento do câncer, há pessoas que podem encontrar barreiras no acesso ao diagnóstico e tratamento, por questões sociais como renda, educação, localização geográfica, discriminações com base na cor da pele, etnia, gênero, orientação sexual, idade, deficiência e até estilo de vida. Essas dificuldades podem custar o que há de mais valioso no mundo: vidas. Segundo a IUCC, existem dados que mostram como essas barreiras interferem no tratamento do câncer:


  • Mais de 90% da mortalidade do câncer do colo do útero acontece em países de baixa e média renda;

  • As taxas de sobrevivência ao câncer infantil são superiores a 80% em países de renda mais alta, enquanto nas nações de menor renda esse índice mal ultrapassa os 20%

  • Das quase 10 milhões de mortes por ano causadas pelo câncer, cerca de 70% das pessoas têm 65 anos ou mais, e ainda assim as populações mais velhas encontram mais dificuldades na hora de buscar por um tratamento;

  • Entre os refugiados, o câncer é geralmente diagnosticado em estágios mais avançados, o que reduz as chances de cura e aumenta o risco de complicações e de óbitos;

  • O rastreamento do câncer entre pessoas transgêneros é menor do que no restante da população;

  • Existe uma diferença nos resultados de tratamento entre pacientes da zona rural e urbana, mesmo em países de alta renda.

Essa série de fatores que podem afetar negativamente o atendimento ao paciente é a lacuna que a campanha do Dia Mundial do Câncer busca preencher. "Cuidados mais justos" são importantes para os grupos mais desfavorecidos, pois eles ficam mais expostos a fatores de risco da doença, como tabagismo, dieta não saudável ou riscos ambientais.


Com a expertise de anos de atendimento e tratamento na área de cabeça e pescoço, a Clínica Kowalski sabe da importância da informação na busca pela prevenção e pelo diagnóstico precoce do câncer. Por isso, busque sempre o acesso a dados confiáveis sobre a doença, e, se for compartilhar, verifique se é de um site com a assinatura de um especialista ou de uma organização de respaldo técnico.

Para contribuir com essa missão, trazemos aqui informações relevantes sobre a prevenção, o diagnóstico e o tratamento da doença. Confira:



Hábitos que podem ajudar na prevenção do câncer


Existe uma série de hábitos para serem incluídos no cotidiano que pode contribuir para a redução das chances de desenvolver uma doença como um tumor maligno. No caso da região da cabeça e pescoço, a prevenção do câncer pode ocorrer com ações como:


  • Alimentação saudável (rica em cereais, frutas, verduras e legumes e que não tenha alimentos ultraprocessados);

  • Não fumar e evitar todo tipo de produto derivado do tabaco;

  • Não consumir bebidas alcoólicas em excesso;

  • Praticar atividades físicas regularmente;

  • Participar e colaborar em campanhas de vacinação, como por exemplo a vacina contra o HPV;

  • Proteger-se corretamente da exposição do sol, com uso de protetor solar na pele e nos lábios;

  • Consultar regularmente um médico e fazer exames de rotina.



Como é possível fazer o diagnóstico do câncer


Além da prevenção, outro fator que colabora diretamente para reduzir o número de óbitos pelo câncer é o diagnóstico precoce. Afinal, quando a doença é detectada nos estágios iniciais, as chances de sucesso no tratamento aumentam – e chegam a cerca de 90%. Na região da cabeça e pescoço, fique atento a sinais como:


  • Inchaço ou ferida que não cicatriza - principalmente por mais de duas semanas;

  • Nódulo na boca, pescoço ou mandíbula – sintoma importante de investigar, apesar de que cerca de 95% desses caroços na região costumam ser benignos;

  • Manchas vermelhas ou esbranquiçadas na boca que persiste por mais de duas semanas, principalmente se causar sangramentos quando tocada;

  • Dificuldades para se alimentar: sensação de algo preso na garganta ou de queimação durante as refeições;

  • Problemas na fala: como a sensação de estar resfriado ou com rouquidão;

  • Problemas respiratórios: falta de ar, dores no peito ou sangramento nasal;

  • Dificuldades e dores enquanto mexe a boca.



Se identificado algum desses sintomas, busque a avaliação de um especialista.


O médico especialista em cabeça e pescoço pode realizar o diagnóstico preciso nestes casos. Ele terá a ajuda de exames clínicos e de imagem, como a tomografia, radiografia e a ressonância magnética, e caso haja a suspeita de um tumor, é realizada biópsia para confirmação ou não do diagnóstico.



Como é feito o tratamento por um especialista em cabeça e pescoço


O procedimento mais comum no tratamento de um câncer de cabeça e pescoço é a cirurgia, que consiste na remoção total ou parcial do tumor. De acordo com o estágio em que a doença foi diagnosticada, pode ser importante algum procedimento complementar, como a radioterapia ou a quimioterapia.


É importante ressaltar a importância do paciente receber um tratamento multidisciplinar, ou seja, além do próprio médico de cabeça e pescoço, ele também deve ser atendido por uma série de especialidades que podem contribuir na qualidade de vida durante o tratamento, como a fonoaudiologia, nutrição, psicologia, fisioterapia, entre outros.