Jornais

Notícias

O que é um tumor benigno de cabeça e pescoço?

A presença de um nódulo na região da cabeça e pescoço pode trazer preocupações e incertezas para quem nota essa alteração no corpo. O tipo de nódulo mais comum é encontrado na tireoide entre as mulheres. Em cerca de 95% dos casos, esse nódulo é um bócio ou tireoidite, ou seja é benigno. Mas afinal, o que significa uma lesão ou um tumor ser benigno?




O tumor benigno é um conjunto de células anormais que se multiplicam mais do que deveriam, mas esse tumor é classificado como benigno porque terá um crescimento mais lento e não tem a predisposição para invadir áreas próximas ou se espalhar para outras regiões.


Para saber se um tumor de cabeça e pescoço é benigno é necessário passar pela avaliação médica e realizar alguns exames.

Entenda como um tumor benigno se forma, quais os seus tipos, a diferença para um câncer e os pontos de atenção que deve se ter nesses casos.



Como um tumor benigno se forma?


O tumor, também chamado de neoplasia, surge do crescimento acelerado de células cujo DNA sofreu mutação. Para entender como isso ocorre, é preciso relembrar as aulas de biologia na escola. O corpo humano é composto por trilhões de células, cujas funções são essenciais para a vida. As células estão envolvidas em diversos processos, como alimentação e respiração, com importância no metabolismo e na estrutura do corpo.


Todas essas células tem uma função e um tempo de vida. Para que elas continuem a existir e manter o corpo vivo, essas estruturas realizam processos de divisão celular, chamados de mitose, que ajudam na renovação do corpo, na regeneração celular (para quando você se machuca, por exemplo), entre outras funções vitais. No entanto, pode ocorrer das células de algum órgão ou tecido se multiplicarem de forma desordenada, por causa de uma alteração da estrutura genética (DNA) - conhecida como "mutação".


Na maioria dos casos, o sistema imunológico defende o corpo dessas mutações celulares ao ativar mecanismos de defesa que interrompem o processo, eliminando-as. Se o sistema imunológico não desempenhar devidamente sua função, esse crescimento desordenado de células nesta estrutura do corpo pode gerar um tumor – que pode ser benigno ou maligno



Quais as diferenças entre um tumor benigno e maligno?


A principal diferença entre os tumores benignos e malignos é a capacidade deste tumor de se espalhar para outras regiões/órgãos do corpo. Se ficar presente somente no tecido ou órgão que teve origem, geralmente é um tumor benigno; caso possa afetar estruturas próximas e se alastrar em um processo chamado metástase, é maligno.


Outra diferença observada é a velocidade do crescimento: o tumor maligno costuma crescer em um ritmo mais veloz. Por essa razão é possível classificar o tumor benigno como uma neoplasia de crescimento lento e com limites bem definidos.



Principais tipos de tumores benignos


Um tumor benigno é classificado considerando a região em que teve origem - e eles podem se desenvolver em qualquer local. No caso da cabeça e pescoço, o mais comum é o adenoma, categoria de tumor benigno que surge na tireoide ou nas glândulas salivares, por exemplo.


Veja quais são os tipos de tumores benignos e onde podem surgir:


  • Adenoma: pode se desenvolver nas glândulas do corpo. Além da tireoide, pode surgir também em glândulas salivares, no estômago, no cólon (parte final do intestino) e na hipófise, próximo ao cérebro.

  • Osteoma: formado a partir do osso, dos locais mais comuns como mandíbula, maxila e região do crânio.

  • Lipoma: é o tipo mais comum de tumor benigno, que se forma a partir de células de gordura e cresce logo abaixo da pele.

  • Linfangioma: pode se desenvolver no sistema linfático e causar cistos na pele e nas membranas mucosas que revestem a boca, nariz e as pálpebras.

  • Meningioma: surgem nas meninges, uma camada de tecido ao redor do cérebro. Apesar de benigno, é preciso mais atenção: o crescimento do meningioma pode pressionar o cérebro e a medula espinhal e até se tornar fatal.

  • Condroma: forma-se na cartilagem, um tecido elástico presente nas articulações entre as extremidades ósseas e também dá sustentação ao nariz e orelhas.

  • Miomas (ou fibroma ou leiomioma): mais conhecido pelas mulheres, esse tumor crescer no músculo liso e surge geralmente no útero ou no trato gastrointestinal.

  • Neuroma: pode se desenvolver dentro dos nervos de qualquer parte do corpo.

  • Hemangiomas: crescem a partir de vasos sanguíneos, são mais comuns em bebês e podem ocorrer na pele e em órgãos como fígado, intestino e cérebro.

  • Tumores benignos de pele: existem vários tipos que podem surgir na pele, como angioma-cereja (os mais comuns na infância, podem provocar ferimentos e sangramentos), hiperplasia sebácea, dermatofibroma e queratoses seborreicas.



Quais sintomas um tumor benigno pode manifestar?


Um tumor benigno, apesar de "benigno" no nome, pode causar alguns impactos na qualidade de vida e manifestar sinais como:


  • Nódulos

  • Sangramentos;

  • Dor de cabeça, tontura ou problemas na visão;

  • Perda de apetite ou de peso;

  • Dores e desconfortos no local onde surgiu;

  • Dificuldades na respiração.


O surgimento desses sintomas merece a avaliação de um médico para diagnosticar mais precisamente o que ocorre com o paciente, pois são sinais que também podem estar relacionados ao câncer.



Quais cuidados deve-se ter com um tumor benigno?


Alguns tumores benignos podem se tornar cancerígenos e por isso exigem tratamento ou acompanhamento clínico constante. O médico poderá solicitar exames para diagnosticar melhor o quadro do paciente, principalmente com procedimentos de imagem como ultrasson, tomografia oou ressonância magnética, para avaliar o tamanho do tumor benigno dentro do corpo, e a biópsia para avaliar o tipo de células que sofreram mutação em um microscópio.


Se for necessária o tratamento do tumor benigno, a cirurgia é o procedimento mais comum. O mais importante é o especialista acompanhar as condições clínicas do paciente.